10 Dicas sobre Jericoacoara no Ceará

18 de agosto de 2019
Destinos Nacionais

Fala, viajante! Hoje vamos falar de um dos destinos mais paradisíacos do Brasil: Jericoacoara.

Jeri fica numa área de proteção ambiental localizada no estado do Ceará, que antes de ser descoberta pelo turismo, era apenas uma pequena aldeia de pescadores. Luz elétrica? Só chegou quase no final dos anos 1990 e foi instalada de forma subterrânea, ou seja, sem a presença de postes de energia espalhados pela vila, com o intuito de preservar a iluminação natural do sol, da lua e das estrelas (que máximo, não é?). Importante avisar que cidade já foi classificada diversas vezes entre os 10 destinos tropicais mais paradisíacos do mundo!

Bom… aquelas fotos nas redes, a calmaria do local e o pôr do sol deslumbrante nas dunas sempre me chamaram muita atenção. Até que decidi ir sozinho, me aventurar. Cheguei à Fortaleza, capital que já visitei inúmeras vezes (virá um post exclusivo só sobre a cidade), hospedei-me próximo da Avenida Beira Mar, aproveitei para dar uma volta na orla e no dia seguinte, bem cedinho, o transfer me buscou no hotel e seguimos viagem até Jericoacoara. A viagem via estrada é longa, cerca de 5h (aproximadamente 300 Km), com pedaços em asfalto, estrada de terra e paralelepípedos. Então, se esse é seu destino brasileiro dos sonhos, melhor já ir se preparando!

Há vários tipos de transfers oferecidos. Fechei o que fez o seguinte percurso: van até Jijoca e o restante da viagem foi feito de carro 4X4. O valor médio do transfer depende muito da época! No meu caso, paguei R$ 200,00 em dezembro/2016 (alta temporada), mas também havia a opção do transfer 4×4 direto. Este saía um pouco mais caro: por volta 350,00 (é mais confortável e rápido). Já em época de baixa temporada (abril, maio e junho) os valores são mais baixos, então se programe!

Mas se você está em busca de conforto, agilidade e tem condições ($$$), hoje a cidade de Jericoacora possui um Aeroporto Regional com operações das cias aéreas: GOL e AZUL. Lembrando que o Aeroporto fica cerca de 1h de carro até a Vila de Jeri.

As famosas redes de Jericoacoara!

Na época, busquei recomendações no site TripAdvisor para a escolha do meu transfer (também fiz cotações com algumas agências de turismo) e para a escolha do hotel sempre utilizei o nosso melhor amigo do viajante: o Booking (fechei com uma pousadinha bem no centro de Jeri – média de R$ 200,00 a diária).

OBS: Se quiser dica do transfer e da pousada, entre em contato conosco que teremos o prazer em te ajudar!

Para aqueles que gostam de fazer “bate-volta” também há essa opção nas agências de transfer (muito mais cansativo, mas se você tem pouco tempo em Fortaleza, vale a pena tirar um dia para conhecer os principais pontos de Jeri!). Agora, se você está pensando em ir de carro, fique sabendo que não é permitida a entrada de automóveis particulares na vila! Estes ficam num estacionamento público e há transfers dali até o centro.

Agora que o relato inicial foi dado a você, vou passar as 10 melhores dicas para você que pretende visitar este lindo paraíso:

1 – Quando fui não era cobrada taxa de turismo, mas assim como em Fernando de Noronha e Morro de São Paulo (já visitei!), a partir de final de 2017, a Prefeitura de Jijoca de Jericoacoara instituiu esse tipo de cobrança (o pagamento pode ser online clicando aqui). O valor é de R$ 5,00 por dia de hospedagem!

2 – As ruas de Jeri são de areia e terra. Lembre-se: você está indo para uma região de praia que ainda resguarda um local bastante natural. Portanto, capriche nos chinelos e sandálias abertas, bastante confortáveis. A vibe é super praiana, fique [email protected]

3 – Eu sei que você pode estar [email protected] com a roupa à noite, né? Sair de chinelo (rs)? Em Jeri as pessoas se vestem de forma simples e o ideal é levar roupas práticas. Procure levar roupas leves e lembre-se que no Nordeste, principalmente se for no verão, à noite também faz bastante calor. A vila de Jeri é um charme à noite, com as luzes vindo dos estabelecimentos e hotéis. Há diversas barracas de caipirinha e restaurantes com música ao vivo (tocando aquele forrozinho típico da região!).

OBS: não poderia deixar de dar a dica das mulheres rendeiras que vendem peças feitas à mão por um preço muito justo – gosto demais de incentivar o comércio local e sustentável (trouxe de presente para minha mãe, ela adorou!).

4 – Qual a melhor época de ir para Jeri? Então… como falei, fui final de dezembro de 2016, época de muito sol, calor e agitação da cidade! De fevereiro a agosto costuma chover mais, mas isso não quer dizer que não faça sol (nessa época a temperatura média é de 28 a 30º, e há mais ventos). Importante deixar meu relato sobre a época que fui: infelizmente peguei várias lagoas secas, pois fazia quase 2 anos que não chovia o suficiente na região. O nível de água das principais Lagoas (Azul e do Paraíso) estavam muito baixo. Mas fique [email protected] deu para desfrutar demais deste lindo lugar.

Uma dica extra: mantenha contato com a agência de turismo ou hotel que ficará [email protected] para saber se o nível da água, dos passeios em geral, está adequado ou se choveu recentemente na região. Para te tranquilizar: há amigos que foram recentemente (2019) e me falaram que o nível da água já está normalizado!

5 – A reserva de seu hotel é de suma importância, por lá existem diversas opções: desde hostels até hotéis luxuosos. Há opções para todos os bolsos: consulte aqui! Não vá se aventurar de fechar hotel quando chegar no local, pois a depender da época, a cidade fica lotada!

6 – Assim como os hotéis, há diversas opções de lanches e restaurantes, mas confesso: a gastronomia em si não é nada barata! Os restaurantes aceitam cartões de credito (ufa, até porque quando fui não tinha banco Santander para sacar dinheiro, somente havia banco Bradesco!). A média de preço no almoço é de R$ 50,00 por pessoa (refeição + bebida) e o jantar, R$ 70,00.

7 – Sobre os passeios, há diversas agências no Tripadvisor que oferecem os serviços, mas, sinceramente, a melhor opção mesmo é negociar diretamente no dia e com a agência local (saiu muito mais barato!). Você pode alugar um bugre somente para você ou seu grupo, ou então dividir um bugre com outras pessoas (além de ser mais divertido, fazer novas amizades sempre são bem-vindas!). Além disso, há passeios que podem ser feitos de quadriciclo (este o preço é mais salgado!). Verifique com seu hotel se eles realizam os passeios na região ou então vá até a rua principal da vila.

Além das redes, Jeri conta com essas espreguiçadeiras que são ótimas para quem quer relaxar.



8 – Fique por dentro da média de valores dos dois principais passeios de bugre – mais vendido (o preço é por bugre e cabem até 4 pessoas):

Alta Temporada Baixa Temporada
Lado Leste: R$ 400,00 Lado leste: R$ 300,00
Lado oeste: R$ 450,00 Lado oeste: R$ 350,00

Roteiro Passeio Oeste: duna do pôr sol, passeio ecológico do cavalo marinho (opcional – pago a parte R$ 15,00), travessia de balsa que faz divisa entre Jericoacoara e Camocim, paredões de dunas (com emoção, né?) até o Lago Grande (toboágua, tirolesa e skibunda), Praia de Tatajuba e ponto de apoio para o almoço e após o descanso do almoço o bugre retorna à Jeri.

Roteiro Passeio Leste: inclui os principais pontos turísticos como Pedra Furada, Árvore da Preguiça, Praia do Preá, Lagoa Azul (quando fui estava praticamente seca, mas já soube que está regularizada o seu nível de água) e a famosa Lagoa do Paraíso.

Se você quiser flexibilizar o passeio, também há essa opção, basta conversar com o seu “bugueiro” e está tudo certo, rs!

9 – Se quiser conhecer a Pedra Furada você tem 3 opções: passeio de bugre, caminhada pela praia (se a maré estiver baixa – você precisa consultar a tábua das marés) ou estrada de terra (eu optei por esta opção: “Trilha da Pedra Furada” – haja fôlego para subir o morro e muito cuidado para descer. Há pessoas no local que oferecem o serviço de charrete para o trecho).

10 – Para fechar, não deixe de aproveitar um dos mais belos pores do sol do Brasil: na Duna do Pôr do Sol (é um espetáculo à parte!). Fica bem perto do centro e da Praia da Vila, dá para ir andando (10 minutinhos de caminhada). Se já estiver na praia, peça para algum dos restaurantes que tem ali próximo para tomar uma ducha para tirar o sal da pele (para mim é uma das melhores sensações!). Fique atento ao horário que o sol se põe para não perder esta atração!

Sabe aquele lugar que te deixa com gostinho de ‘quero mais’? Jericoacoara é assim. Um destino que deixou saudade.

Se este é o seu destino dos sonhos no Brasil, conte com o #SeLigaNoRoteiro para o esclarecimento de qualquer dúvida. Vem com a gente!

Ilan Neustadt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Olá, podemos te ajudar?