Teatro Amazonas - Um dos principais pontos turísticos de Manaus.

10 Dicas sobre Manaus no Amazonas

17 de agosto de 2019
Destinos Nacionais

Fala, viajante! Dessa vez a matéria será sobre um dos meus destinos brasileiros favoritos: Manaus.

Morei em Manaus por um ano, desbravei não só a cidade como seus arredores e estou aqui para te dizer que esta cidade não é só “contato com a natureza, com o mato”, tá bem?! A capital manauara é a maior cidade do norte do país!

Falando um pouco sobre a cultura local, os manauaras são muito receptivos (sabem receber muito bem os seus turistas), a região é rica em comidas típicas como: Tacacá, Pato no Tucupi, Pão com queijo coalho e banana (ou tucumã), diversos tipos de farinhas, Açaí (de verdade! rs), peixes e mais peixes regionais (os meus favoritos são o Tambaqui, Tucunaré e Jaraqui). Há diversos restaurantes regionais espalhados pela cidade, e num deles, peça o famoso “Tambaqui de banda” ou a “Costela de Tambaqui”, que geralmente vem acompanhado de arroz, farofa caseira e vinagrete.

O pão com queijo coalho e banana frita: uma ótima pedida para um lanche em Manaus!

Se você está pensando em rodar Manaus de ônibus, tenho que te dizer que não é a melhor opção. Sabe o porquê? Os ônibus não têm ar-condicionado (sim, isso mesmo, não tem!). Além disso, eles param em diversos terminais e você precisa, muitas vezes, fazer baldeações. Então, indico usar o Uber (tarifas com ótimo preço) ou então fique numa região que dê para fazer a maioria dos pontos turísticos a pé.

Quanto aos hotéis, há uma variada rede hoteleira, mas cuidado! Evite ficar hospedado na região central, próximo do Porto, por ser uma zona mais perigosa. Prefira ficar nas seguintes regiões: Adrianópolis, Nossa Senhora das Graças, Chapada, Dom Pedro e Ponta Negra. Já me hospedei na cidade pelo Airbnb, quando fui visitar pela primeira vez, e foi uma experiência muito boa. Então recomendo que faça cotação pelo Booking e Airbnb e compare (preço, localização, estilo de viagem).

Para chegar até Manaus há somente duas formas: via aérea (a mais utilizada) ou então a aquática (esta disponível somente para regiões vizinhas). Já comprei diversas passagens promocionais saindo do Rio de Janeiro para Manaus (uma delas por R$ 298,00 ida e volta), então fique de olho sempre nas promoções que estão rolando. Do aeroporto até o centro de Manaus são cerca de 25 minutos de Uber (a depender do trânsito da cidade!). Há também uma linha de ônibus (306) que passa em frente ao aeroporto com parada final no centro.

Ponte sobre o Rio Negro: para quem vai à algumas cidades do interior do Amazonas.



Agora que um breve relato já foi passado (na verdade, se você percebeu, já foram faladas muuuuitas dicas!) e você já deve estar [email protected] para saber um pouco mais sobre este destino, não poderá deixar de ler a seguir as 10 melhores dicas de Manaus:

1 – Vamos começar com a dica em relação ao clima da cidade. Acredito que seja unânime falarem que Manaus é muito quente e isso é uma verdade! Além de quente, é úmido, e dependendo da época, há fortes chuvas (geralmente entre novembro e março). Como sempre, tudo tem um lado positivo ou negativo: durante a época de seca, o nível das águas abaixa e várias praias de água doce se formam ao longo do Rio Negro (água mansa, com temperatura deliciosa!); já durante a época chuvosa, são formados os igarapés e a temperatura é mais agradável.

2 – Aproveitando o item anterior, vou comentar sobre as roupas. Tanto em época de seca, quanto de chuva, a temperatura média em Manaus é quente. Então, recomendo que faça a mala com roupas leves (semelhantes para lugares praianos). A diferença é que em períodos de chuvas, é bom levar uma capa e sapatos fechados para se prevenir. Agora à noite, capriche no visual, pois o povo manauara costuma se vestir bem (a maioria dos lugares possui ar-condicionado, então não se preocupe com o calor, rs).

3 – Você não poderá deixar de visitar o imponente Teatro Amazonas. O teatro, inaugurado em 1896, é um cartão-postal de Manaus, com sua área externa pintada em tom de rosa e com uma cúpula feita em cerâmica. Um verdadeiro esplendor localizado bem no centro da cidade! O local é a mais importante casa de espetáculos do Amazonas (é o palco de grandes eventos) e conta com um museu, que possui diversas peças que ajudam a contar a sua história. O funcionamento é de terça a sábado das 9h às 17h, e aos domingos e segundas, das 9h às 14h. O valor da entrada é de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia), podendo ser paga em cartão de crédito. A visita guiada poderá ser em português ou inglês: cada visita dura, em média, 45 min a 1 hora.

4- Aproveitando que você está pró[email protected] ao Teatro, outra dica é explorar a região, aproveitando o Largo São Sebastião, que conta com diversos barzinhos e restaurantes. Admire os prédios históricos presentes no entorno e caminhe até o Palácio da Justiça! Este Palácio, inaugurado em 1900, com entrada gratuita, possui mais de 5 mil metros quadrados de área construída. É um excelente lugar para tirar fotos e saber um pouco mais da história do Poder Judiciário da região do Amazonas.

5 – Alguns pontos turísticos localizados na região central (Av. Eduardo Ribeiro, 7 de Setembro e arredores – tudo feito a pé!) que você não poderá deixar de visitar: Palacete Provincial (conta com a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som, Museu da Numismática, Museu de Tiradentes e Museu de Arqueologia), Palácio Rio Negro, Museu do Índio (muito interessante, não deixe de ir!), Catedral Nossa Senhora da Conceição (recém reformada) e o Relógio Municipal.

Uma das paradas no passeio nas Casas Flutuantes sob o Rio Amazonas.



6 – Já deu para perceber que a região do centro de Manaus é muito rica no quesito turismo, não é mesmo? Então vou deixar mais uma dica: aos domingos, na Av. Eduardo Ribeiro, acontece uma feira super tradicional! Por lá você encontrará artesanatos, comidas típicas, produtos naturais (de cultivo orgânico), lembrancinhas, plantas, chocolates recheados (com castanha, cupuaçu, açaí) etc. Não preciso nem dizer que quase todo domingo, enquanto morava em Manaus, estava por lá né?!

7- Não poderia deixar de fora o Porto de Manaus e o Mercado Municipal Adolpho Lisboa. Um fica bem perto do outro! Se você tiver interesse em conhecer um pouco mais sobre o transporte fluvial, recomendo que entre no porto para avistar as embarcações e a quantidade de pessoas que utiliza esse meio de transporte (se quiser, poderá esticar a viagem até uma cidade interiorana e imergir ainda mais na cultura amazonense – leve a sua rede para dormir durante a viagem!). Do Porto também sai o cruzeiro Iberostar Grand Amazon (sensacional!) e diversos passeios turísticos que falarei na próxima dica. Já o Mercado Municipal (conhecido como “Mercadão”), inaugurado em 1883, possui uma arquitetura colonial e conta com muita coisa interessante para comprar e para comer! Seu horário de funcionamento é de segunda a sábado, de 6h às 18h e aos domingos e feriados, de 6h às 12h.

8 – Sobre os passeios de barco, você poderá embarcar no porto, ou no píer que tem em frente ao Mercadão – são os dois locais principais. Mas se estiver [email protected] num hotel de selva ou à beira do rio, poderá combinar com o pessoal da embarcação de te buscar. O passeio dura o dia inteiro (sai por volta de 8:30 e retorna final da tarde) e passa pelo Encontro das Águas (Rio Negro e Solimões), Tribo Indígena, Reserva Janauari (por lá você encontrará casas flutuantes e vitórias-régias), Pescaria nos tanques de criação de pirarucus (um dos maiores peixes da Amazônia), Parada num flutuante para tirar foto com bichos-preguiça, jacarés e cobras, e por fim Flutuante para ver os botos (as vezes eles ficam tímidos e não aparece – se realmente quiser ver vários botos, indico esticar até a cidade de Novo Airão – cerca de 3h de carro de Manaus! Já fui 3 vezes e gosto demais desse contato com a natureza!).

O encontro das águas: Onde o Rio Negro e o Solimões se transformam em Rio Amazonas.



Valor: nas agências de turismo o valor varia de R$ 180 a R$ 300 (geralmente inclui van que te busca no hotel). Porém, se você for fechar na parte do píer (foi o que fiz 2 vezes), paguei o valor de R$ 120. Sempre dá para pechinchar, ainda mais se estiver em grupo. Há opção do passeio com ou sem almoço (o almoço é servido em uma das casas flutuantes).

9 – Se lembra quando falei do clima de Manaus? Então, na época de seca o nível das águas abaixa e várias praias de água doce se formam. Cabe lembrar que somente o Rio Negro é próprio para banho, por ser mais seguro. Não é recomendado entrar nas águas do Rio Solimões dado a sua correnteza e quantidade de sedimentos na água. Bom, as melhores praias em Manaus não ficam dentro da cidade (há quem arrisca de entrar na Praia da Ponta Negra), elas ficam nos arredores, como as praias para o lado de Iranduba (como Açutuba), Praia Dourada (onde possui diversos flutuantes com chuveiros da própria água do rio – cuidado que há relatos de peixes piranha no local), Praia do Tupé e Praia da Lua. Estas duas últimas praias você chega através de barco que sai da Marina do David (localizado na Ponta Negra – indico pegar um ônibus até o ponto final da Ponta Negra e de lá você solicitar um Uber).

Visita ao INPA para observação dos Peixes-Bois.

10 – Como são 10 dicas, preciso juntar duas numa só (rs). Então vou falar sobre o Bosque da Ciência e do Museu da Amazônia (MUSA) – ambos ficam mais afastados da zona central. O Bosque da Ciência, localizado no bairro Petrópolis, fica nas dependências do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (INPA), um imenso local de natureza em pleno meio urbano, ideal para quem deseja caminhar ou para um passeio familiar. Por lá, a grande atração são os aquários com peixes-bois… é incrível a calmaria e doçura desses animais!. Já o MUSA, fica no bairro Cidade de Deus, possui uma área com mais de 100 hectares e conta com um jardim botânico, laboratórios experimentais (com serpentes, borboletas, insetos) e diversas exposições. A principal atração é a Torre de Observação com seus 242 degraus para admirar e celebrar a floresta durante a chega ao topo da torre (acima das copas das árvores). Recomendo à observação do pôr do sol, de 17h30 às 18h30, conforme a época do ano – para esse horário precisa agendar! A torre funciona de segunda a domingo (exceto quartas-feiras), das 9h às 17h (o portão de entrada do MUSA fecha às 16h).

Então, viajante, não perca a oportunidade de desbravar essa incrível cidade brasileira, cercada por suas belezas naturais e de cultura única. Tenho a certeza que com essas dez dicas você fará uma viagem inesquecível!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Olá, podemos te ajudar?