Região dos Lagos: onde ficar, como chegar e o nosso roteiro completo!

7 de janeiro de 2020
Destinos Nacionais

Fala, viajante! Recentemente fomos à Região dos Lagos e visitamos algumas cidades da região.

Estávamos um pouco receosos com relação ao clima, pois em dezembro o tempo no Rio de Janeiro estava muito instável, e viajar para o litoral com chuva não é tão legal. Mas pra nossa sorte, toda a nossa estadia foi com muuuuuito sol, beirando os 40º graus. Antes de contar os detalhes da viagem, vamos falar um pouco mais sobre esse destino.

Sobre a Região dos Lagos

A Região dos Lagos, também conhecida como Costa do Sol Fluminense, é uma região litorânea do Rio de Janeiro que abrange 7 (sete) municípios: Araruama, Arraial do Cabo, Búzios, Cabo Frio, Iguaba, Maricá, Rio das Ostras, Saquarema e São Pedro da Aldeia.

É considerada uma das mais belas regiões do litoral fluminense, marcada, principalmente, pelo turismo. Cada vez mais o destino está sendo descoberto por viajantes de todo o mundo, especialmente por oferecer diversas praias paradisíacas, boa infraestrutura da cidade e da rede hoteleira, sem falar nos preços (com opções para todos os bolsos). E por falar das praias, que é o que mais atrai os turistas, as principais da região estão nas cidades de Búzios, Arraial do Cabo e Cabo Frio.

Onde ficar

Saímos bem cedinho do Rio, antes das 7h da manhã, para não pegar trânsito durante nossa viagem, até porque era véspera de feriado. Em relação à hospedagem, como queríamos conhecer 3 (três) cidades, optamos ficar em Cabo Frio (na verdade, quase sempre optamos ficar lá). A nossa escolha por ficar nessa cidade possui alguns motivos, como: a estrutura, maior oferta de restaurantes e hotéis, melhores preços, mas o principal é a sua localização, que fica entre Arraial do Cabo e Armação dos Búzios (facilitando demais o deslocamento).

Mas, se você tem pouco tempo ou prefere visitar somente uma dessas cidades, fique [email protected] apenas na cidade que você estará visitando. Isso acontece demais e varia de acordo com as expectativas e o perfil do viajante. Abaixo vamos listar as melhores regiões para você se hospedar:

Arraial do Cabo: Prainha, Centro, Monte Alto (um pouco mais afastado), Praia dos Anjos e Praia Grande.

Búzios: Armação dos Búzios, Manguinhos, Praia da Ferradura e Praia de Geribá.

Cabo Frio: Praia do Forte, Centro, Algodoal, Jardim Flamboyant, Bairro da Passagem, Peró, Ogiva e Foguete.

Como chegar

Há diversas opções para se chegar a Cabo Frio: carro, ônibus e avião.

Para se chegar de carro, saindo do Rio de Janeiro, o viajante terá que percorrer cerca de 160 km (cerca de 2h e 30 min). Sempre optamos por esse meio, pois dá maior flexibilidade a nossa viagem. Sem dúvida essa é a melhor opção para se chegar à Região dos Lagos como um todo (faça sua cotação de aluguel aqui!). No caminho há alguns pedágios, como Ponte Rio-Niterói (cobrança unidirecionada – sentido Niterói – R$ 4,30), Arteris BR-101 (altura de São Gonçalo – cobrança unidirecionada – sentido Rio de Janeiro – R$ 6,00) e Via Lagos (cobrança dupla – conforme abaixo):

  • Das 12 h de 2ª feira às 12 h de 6ª feira. Exceto feriados nacionais: R$ 12,40 | Finais de semana e feriados nacionais: R$ 20,60!

Outra forma de chegar a Cabo Fio é utilizando ônibus. É uma boa opção para aqueles que não gostam de enfrentar estrada ou querem ficar somente numa cidade. A melhor empresa que faz esse trajeto é a Auto Viação 1001, que possui frota nova, com ar condicionado e com saídas em vários horários da capital.

Uma opção que vem crescendo é chegar de avião. O Aeroporto Internacional de Cabo Frio opera regularmente com as empresas GOL e AZUL, com diversos vôos saindo de São Paulo e Belo Horizonte. Fiquem antenados nas promoções (utilizamos muito o Viajanet).

Boulevard Canal – Cabo Frio.



Nosso roteiro de 5 dias

Como somos cariocas, sempre estamos visitando a Região dos Lagos! O nosso roteiro varia a cada viagem que realizamos, atendendo nossas expectativas e disponibilidade ($$$). Mais detalhes da viagem no nosso Instagram e qualquer dúvida pode nos mandar direct! Sem mais delongas, vamos falar do nosso roteiro?

1º DIA

CABO FRIO

Rua dos Biquínis

Chegamos cedo na hospedagem, que ficava na próximo ao Peró, realizamos o check-in e fomos visitar a famosa Rua dos Biquínis. É aquela parada obrigatória para aqueles que estão visitando Cabo Frio. A “Rua”, que na verdade é um shopping a céu aberto, possui mais de 150 lojas especializadas em moda praia. O interessante do local são os preços convidativos das lojas de fábrica, com peças a partir de R$ 10,00.
Horários: Alta Temporada (dezembro a março): das 08h às 00h. Baixa Temporada: das 09h às 21h.

Almoço no Boulevard Canal de Cabo Frio

A região do canal fica no Centro de Cabo Frio e abriga diversos restaurantes, além de uma orla muito boa para se caminhar. Alguns restaurantes tradicionais são: Restaurante do Zé (almoçamos nele), Marajá do Canal e Tia Maluca. Há outros mais refinados como: Picolino, Buda Beach e Japa do Canal. Todos bem avaliados!

Bairro da Passagem

Quem nos acompanha sabe que gostamos demais de lugares históricos, e entre idas e vindas a Cabo Frio, nunca tínhamos visitado o Bairro da Passagem. Dessa vez foi diferente, colocamos logo no primeiro dia do nosso roteiro. O bairro, que fica à margem direita do canal de Itajuru, é um marco histórico da cidade, é o berço da cidade de Cabo Frio. Batizado com esse nome por ter sido o ponto do canal por onde se fazia a travessia nos tempos coloniais. Ali surgiram as primeiras habitações e feitorias. O lugar possui prédios históricos, casarões antigos, a igreja de São Benedito (séc. XVIII) e um belo canal com barquinhos. Aquele cenário apropriado para várias fotos! Na região há diversas opções gastronômicas, uma boa pedida para almoçar ou jantar (restaurante mais conhecido: Arcos do Canal).

Bairro da Passagem: um lugar de muita história!

2º DIA

CABO FRIO

Praia do Peró e das Conchas

A Praia do Peró é uma das melhores da cidade, um verdadeiro paraíso de águas claras e limpas. Como fomos em alta temporada, tivemos que sair cedo (antes das 9h) para conseguir vaga e garantir nosso lugar bem no início da praia (canto direito, antes das Dunas). Gostamos de ficar nesse ponto, pois dá para ir caminhando até a Praia das Conchas por apenas 10 minutos (beirando o mar pelas Dunas). Outra vantagem de chegar cedo é garantir uma mesa com cadeira e guarda-sol (disponíveis na beira da praia mediante consumação no quiosque).

Acompanhando o dia anterior, também decidimos fazer algo inusitado. Dessa vez foi subir o Morro da Praia das Conchas. Fomos caminhando do Peró à Praia das Conchas e, em seguida, realizamos a trilha (nível: leve/ fácil – 15 minutos de subida) para avistarmos as duas praias. Surreal a vista que se tem lá de cima! Não precisamos nem dizer o porquê do nome Praia das Conchas, né?

Na volta, paramos na Praia das Conchas para nos molharmos nas águas calmas e retornamos ao Peró. Em outra oportunidade já fizemos o “banana boat” que sempre está por lá.

Para almoçar, escolhemos o quiosque que estávamos na Praia do Peró. Essa é a melhor opção para aqueles que estão nessa região. Há diversos quiosques para almoçar, tanto no Peró quanto nas Conchas, é só você escolher o que mais lhe agrada!

Morro da Praia das Conchas: aquele visual de tirar o fôlego!


Noite na Rua das Pedras

Após o dia de Praia, retornamos à hospedagem para trocar de roupa e pegar estrada até a nossa próxima parada: a Rua das Pedras (cerca de 22km – aproximadamente 40 min de carro). Para aqueles que preferem ir de ônibus, a linha B160 CABO FRIO X BÚZIOS opera regularmente 24h por dia (valor da tarifa R$ 5,50).

O local possui esse nome devido ao calçamento de pedras ao longo da rua. A fama do lugar se dá pela quantidade de lojas (locais e internacionais), restaurantes e bares. É aquele lugar que não pode deixar de visitar quando está indo a Búzios!

3º DIA

ARMAÇÃO DOS BÚZIOS

Praia dos Ossos, da Azeda e Azedinha

Separamos um dia do nosso roteiro para aproveitar Búzios. Já conhecemos diversas praias da cidade, e decidimos voltar naquela que a gente mais gosta: Praia da Azeda e da Azedinha. Há outras que também gostamos, como: Geribá, João Fernandes, Ferradurinha e Tartaruga.

Para chegar até lá, você precisará estacionar na região da Praia dos Ossos e de lá caminhar por cerca de 10 minutos até chegar na escadaria da Praia da Azeda. Essa praia é considerada uma das mais bonitas do Brasil e leva esse nome por conta do tom verde-limão das suas águas límpidas.

Saindo da Azeda, basta contornar os costões rochosos que chegará na Azedinha. Aproveitamos para desfrutar da piscina natural que tem nessa parte!

Almoço na Praia dos Ossos

Saímos da praia e fomos até a Praça Eugênio Honold para almoçar. Nas proximidades há diversos restaurantes. Após, fomos caminhando até a Praia da Armação (menos de 10 minutos) e finalizamos o nosso dia com um belíssimo pôr do sol na famosa Orla Brigitte Bardot, passando pelas esculturas Três Pescadores, da Brigitte e do Juscelino Kubitschek.

Pôr do Sol na Orla Brigitte Bardot – Búzios.

Não podíamos deixar de tomar um sorvete (gostamos demais!), então paramos na sorveteria Trento, bem pertinho do píer. Já que estávamos pertinho da Rua das Pedras, terminamos o dia passeando por lá.

4º DIA

ARRAIAL DO CABO

Trilha Praia do Forno

Como não podíamos deixar de visitar Arraial, destinamos um dia inteiro para conhecer duas praias de fácil acesso da região: Prainha e Praia do Forno. Em outras oportunidades fizemos Pontal do Atalaia (precisa chegar muito cedo para encontrar vaga) e Praia Grande, assim como já fizemos o passeio de escuna pela região (que inclui diversas paradas, como as Prainhas do Pontal do Atalaia e a Ilha do Farol).

Começamos o dia fazendo a trilha da Praia do Forno (nível: leve/ fácil – 20 minutos), que tem seu início próximo do Cais da Praia dos Anjos. Até chegar à praia, passamos por diversos mirantes e fomos fotografando e admirando as belezas desse lugar! Daí a gente começa a entender o porquê que essa cidade é conhecida como o “caribe brasileiro”.

Há quem desvie o caminho para a esquerda e continue a subir chegando no Mirante do Forno. Aqui a trilha já é mais intensa e com caminhos íngremes. Decidimos descer para aproveitar um pouco a praia! Chegando na praia de águas claras, calmas e de tom esverdeado, separamos um cantinho para relaxar!

Na hora de ir embora, decidimos voltar de barco, que fica atracado no lado esquerdo da praia. Valeu super à pena, devido ao conforto, preço (R$ 10,00) e tempo (10 minutos até a Praia dos Anjos). A praia possui boa infraestrutura, com quiosques e carrinhos de comida. Para aqueles que gosta de praticar snorkeling ou mergulho, o lugar é uma boa opção (é possível avistar tartarugas)!

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é praiadoforno-arraialdocabo-1024x1024.jpg
Praia do Forno: uma das mais belas praias de Arraial do Cabo.


Prainha e Praia do Foguete

Desembarcamos no Cais da Praia dos Anjos e fomos de carro (menos de 10 minutos) até a Prainha, que é a praia de melhor acesso e a responsável pela paixão a primeira vista dos turistas que chegam à Arraial. Essa parte da cidade possui uma boa infraestrutura, então decidimos almoçar aqui!

Na volta, como ainda estava claro, paramos na Praia do Foguete, já em Cabo Frio, para terminar o dia por lá (essa praia já é mais deserta e com muitas ondas, então cuidado redobrado!). Uma outra opção é aproveitar para conhecer a Praia do Pontal, que fica próximo do pórtico da cidade de Arraial do Cabo.

À noite, decidimos caminhar pela orla da Praia do Forte, Cabo Frio, e jantar por ali. Há diversas opções de restaurantes, pizzarias, lanchonetes e sorveterias.

5º DIA

CABO FRIO

Ilha do Japonês

A Ilha do Japonês é um paraíso de águas calmas e cristalinas em Cabo Frio. Fica localizada no Canal de Itajuru entre a Praia do Forte e a Praia Brava. É um lugar ideal para prática de SUP e caiaque (R$ 30,00 por meia hora), e andar de jetski (R$ 70,00 por meia hora). Para chegar até lá, há 3 opções: carro, barco e trilha, sendo esta última só possível se a maré estiver muito baixa.

Sempre que visitamos vamos de carro e estacionamento no local. Para chegar até o estacionamento, pegamos a estrada que passa por Ogiva, e ao final da Av. Marlim, dobramos à direita na Av. dos Pescadores. Chegando por lá, é só seguir as placas “Ilha do Japonês”, não tem erro!

O valor do estacionamento é de R$ 15,00 e, se quiser, poderá utilizar o mesmo ticket  para esticar até a Praia das Conchas.

Após estacionar, caminhamos por cerca de 15 minutos até a região dos quiosques (não precisa atravessar). Dessa vez preferimos ficar nos quiosques e somente atravessar para fazer alguns registros (é na ilha que tem águas clarinhas, mais precisamente, ao norte, na Lagoa das Tartarugas). É bom avisar que lá não tem infraestrutura!

Para chegar, de fato, até a ilha, poderá atravessar andando, nadando ou de barco. O valor do barco é de R$ 5,00. A maioria das pessoas atravessa andando, pois a profundidade, geralmente, não passa de 1 metro.

Outra forma de chegar é pegar o barco próximo ao parque de diversão, na Av. Almirante Barroso, no Bairro da Passagem, e atravessar até a ilha. Valor de R$ 10,00.

Águas cristalinas na Ilha do Japonês – Cabo Frio.


Por do sol na Praia do Forte

Saímos da Ilha do Japonês e fomos almoçar na orla da Praia do Forte. Após, fomos até o Forte de São Mateus e desfrutamos de um pôr do sol espetacular na beira da praia!

Belíssimo pôr do sol na Praia do Forte – Cabo Frio.

Esperamos que você tenha gostado do nosso roteiro na Região dos Lagos e que possa curtir sua próxima viagem nesse paraíso!

Acesse nosso Instagram ou Facebook e confira mais detalhes dessa viagem!

4 thoughts on “Região dos Lagos: onde ficar, como chegar e o nosso roteiro completo!

  1. Leyds
    14 de fevereiro de 2020
    Responder

    Adorei o post!! A cor da água na região dos lagos é surreal, né? Fica assim o ano inteiro ou tem um período que ela fica mais clara?
    http://www.leydsviaja.com.br

    • Se Liga no Roteiro
      15 de fevereiro de 2020
      Responder

      Que bom que gostou do Post. Bom, a água fica nessa tonalidade o ano todo! Claro que a depender do sol a coloração muda um pouco, mas nada que influencie nessa beleza natural <3!

  2. 15 de fevereiro de 2020
    Responder

    Não conhecia e agora vou inclui nos meus passeios pois achei o lugar muito impressionante. Amei o artigo e as dicas.

    • Se Liga no Roteiro
      15 de fevereiro de 2020
      Responder

      Que bom que gostou do Post! Inclua sim, você vai adorar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Olá, podemos te ajudar?